26 de mai de 2009

Folclore

• Segundo a Carta do Folclore Brasileiro, aprovada pelo I Congresso Brasileiro de Folclore em 1951, "constituem fato folclórico as maneiras de pensar, sentir e agir de um povo, preservadas pela tradição popular, ou pela imitação.

• Dia 22 de agosto, o Brasil comemora o Dia do Folclore. A data foi criada em 1965 através de um decreto federal que instituiu agosto como o mês do folclore.

• O folclore brasileiro possui a herança cultural dos índios, dos portugueses colonizadores, dos africanos e de outros imigrantes europeus.

Contos

Alguns contos da região:



  • Como surgiram os Diamantes;

  • A gruta dos Amores;

  • A Lagoa Azul;

  • Famaliá;

  • Saci-Pererê;

  • Lobisomem;

  • Mula-sem-cabeça;

  • Santo Antônio Casamenteiro.








Santo Antonio Casamenteiro





A história mais conhecida conta que uma linda jovem, farta de rezar e esperar que o santo ouvisse as suas preces, atirou a sua imagem pela janela fora. A estatueta bateu na cabeça de um
rico homem, que logo se apaixonou e casou com ela.











Fonte: http://recantodasletras.uol.com.br/contos/651073
http://www.pititi.com/festas/festaspop/santonio/santonio.htm
http://www.construirnoticias.com.br/asp/materia.asp?id=513
http://www.terrabrasileira.net/folclore/regioes/sudeste/sudeste.html

Provérbios

Provérbios são sentenças de caráter prático e popular.

São Paulo

  • Em casa de ferreiro o espeto é de pau.
  • Mais vale dois pastéis na mão do que um chopp voando.
  • Um homem prudente vale mais que dois valentes.
  • A união faz a força.
  • Deus ajuda, quem cedo madruga.


    Rio de Janeiro
  • Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.
  • Com mulher de Bigode, nem o Diabo pode.
  • Cão que ladra não morde.

    Espírito Santo
  • Moqueca é capixaba, as demais são peixadas.
  • Quem sabe do tempero da panela é a colher.
  • Desculpa de aleijado é muleta.

    Minas Gerais

  • Por fora bela viola, por dentro pão bolorento.
  • Farofa de miserável vira farelo.
  • Caiu do cavalo.

Brincadeiras

  • AMARELINHA


A pedra é lançada na primeira casa e o jogador deve percorrer o trajeto do traçado pulando (ora com um pé, ora com os dois), evitando o quadrado onde a pedra caiu. A seqüência se repete
enquanto a pedra avança de casa em casa e o grau de dificuldade aumenta.










  • Cabo de guerra

As equipes alinham-se, com os jogadores uns atrás dos outros, segurando cada lado metade de uma corda dividida igualmente entre ambos. A um dado sinal, começam a puxar a corda.Ganha o partido que se apossar dela toda, ou que houver conquistado a maior parte da corda ao cabo de um período de um ou dois minutos.

  • Boneca de Pano

Feitas pelas mães e avós, são usadas em brincadeiras pelas meninas para simular crianças integrantes de uma família imaginária.


  • Cabra cega


Brincadeira que consiste em vendar uma criança que passará a perseguir outros amiguinhos que participam da brincadeira, para colocá-la em seu lugar.















  • Esconde Esconde


O objetivo é se esconder e não ser encontrado pela criança que está procurando. A criança que deverá procurar deve ficar de olhos tapados e contar até certo número enquanto as outras se escondem. Para ganhar, a criança que está procurando deve encontrar todos os escondidos e correr para a base.

Cantigas de roda

Cantigas de roda da regiao Sudeste:


• Ai, eu entrei na roda;
• Alecrim;
• Cachorrinho esta latindo;
• Capelinha de melão;
• Cirandinha;
• O cravo e a rosa;
• Escravo de Jó;
• Mineira de Minas;
• Pezinho;
• Rosa Juvenil.



ROSA JUVENIL

A linda Rosa juvenil, juvenil, juvenil
A linda Rosa juvenil, juvenil
Vivia alegre no seu lar, no seu lar, no seu lar
Vivia alegre no seu lar, no seu lar
Um dia veio uma bruxa má, muito má, muito má
Um dia veio uma bruxa má, muito má
E adormeceu a Rosa assim, bem assim, bem assim
E adormeceu a Rosa assim, bem assim
O mato cresceu ao redor, ao redor, ao redor
E o mato cresceu ao redor, ao redor
E o tempo passou a correr, a correr, a correr
E o tempo passou a correr, a correr
Um dia veio um belo rei, belo rei, belo rei
Um dia veio um belo rei, belo rei
E despertou a Rosa assim, bem assim, bem assim
E despertou a Rosa assim, bem assim
E os dois puseram-se a dançar, a dançar, a dançar
E os dois puseram-se a dançar, a dançar
E batam palmas para o rei, para o rei, para o rei
E batam palmas para o rei, para o rei



Cantigas de Ninar

Dorme Neném
Dorme neném que a cuca vai pegar, mamãe foi na feira e papai foi trabalhar.
Dorme neném que a mamãe tem o que fazer,
‘Vou lavar e passar muitas fraudinhas para você.

Senhora Santana
Senhora Santana, dá sono a esta menina,
Que a noite é grande e ela é pequenina.

Sapo cururu
Sapo-cururu
Da beira do rio,
Quando o sapo canta, ó maninha,
É porque tem frio
A mulher do sapo
Deve estar lá dentro
Fazendo redinha
Ó maninha,
Pro seu casamento.